04/03/2010

Irrita-me…

Posted in Portugal às 13:41 por ideiasdelirantes

As pessoas que vão à televisão dizer que uma greve é um “aborrecimento”.

Anúncios

05/02/2010

“Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar”.Sophia de Mello Breyner

Posted in Portugal às 21:31 por ideiasdelirantes

No seguimento das últimas notícias sobre este país tão pacato e nada calmo, não consigo ficar quieta.

O que posso eu fazer contra esta afronta à liberdade de expressão?

Realmente, não posso fazer muito mas uma coisa posso, escrever aqui! E vendo a entrevista que está a acontecer agora na sic notícias, de Mário Crespo, a frase que coloco no título não me deixou indiferente: NÃO PODEMOS IGNORAR!.

Por favor, não podemos falar, não podemos fazer nada, e seguimos na mesma com a nossa vidinha? Apenas porque, temos medo de perder o nosso ordenado ao fim do mês?

Assim meus senhores, o país não anda e vamos ficar SEMPRE na serpa torta…Não há remédio…

A UE já não nos quer emprestar dinheiro, já não podemos falar. Que nos resta?

Um passado belo e grandioso?

E porque não podemos repetí-lo?

Porque temos de nos conformar a esta corrupção?

Porquê? Não entendo, aflige-me!

NÃO PODEMOS IGNORAR, MESMO!

Temos de mostrar que estamos aqui!Portugal não é só dos que estão no poder, é de todos NÓS!

04/10/2009

Direita VS Esquerda

Posted in Portugal às 13:17 por ideiasdelirantes

Em tempos de eleições, temos sempre tendência a reflectir mais sobre os nossos ideais e, mesmo que eu não tenha votado para as Legislativas, irei votar para as Autárquicas.

Tendo estado extremamente atenta a estas campanhas eleitorais, começo a aperceber-me que, o facto de eu ser “obviamente de esquerda”, já não é assim tão óbvio em mim.

Antes de mais, o que é a Direita e a Esquerda hoje em dia?

Bem, aquilo que eu tenho reflectido é que, os partidos de Esquerda, na sua maioria, afirmam que, se obtivessem o poder, nacionalizavam a maior parte das empresas e, por seu lado, a Direita, defende a privatização das mesmas. Assim, pensando na nacionalização em si mesma: quem pagaria as empresas? os contribuintes, ou seja, nós. Teremos nós dinheiro para tal? O que significa, mais impostos? Atenção que não estou a afirmar nada em absoluto, apenas a colocar hipóteses.

E eu, que daqui a dois anos entrarei no mercado de trabalho, quem me poderia ajudar mais? Será que todas as empresas nacionalizadas, ajudariam os jovens a ter “algum” no final de cada mês? Não será mais vantajoso uma empresa privatizada com algum poder na sua própria economia, podendo contratar ou não trabalhadores?

Claro que isto será ao nível das famosas Pequenas e Médias Empresas (ou nanominimicro, como diriam os gato!), porque as grandes terão sempre influência do Estado.

Bem, o ideal mesmo será modificar o método de voto, em vez de pormos uma cruz só num partido, colocava-se vários pontos dos programas dos vários partidos e nós podiamos por um X nos pontos com que concordaríamos mais, de vários partidos, Direita ou Esquerda. Porque todos têm mais valia, nalgum ponto. Mas nenhum tem mais valia na sua totalidade.

02/10/2009

Porque estamos em tempo de crise:

Posted in Portugal às 15:53 por ideiasdelirantes

P1000425

05/09/2009

República das Bananas

Posted in Portugal às 18:34 por ideiasdelirantes

Este vídeo encontrei-o por acaso enquanto pesquisava sobre o cancelamento do Jornal Nacional da Tvi e achei que se adequava bastante bem a este tema.

Censura, seja ela por parte de quem seja (Governo ou Espanha), não se admite, estaremos nós a aproximarmo-nos de Cuba? (sim, por muito mau que o Jornal Nacional fosse, foi censura)

P.S. – Música “Sem Eira Nem Beira”,  Xutos e Pontapés

24/08/2009

“Não suporto perder, prefiro fazer batota”

Posted in Portugal às 14:03 por ideiasdelirantes

Aqui vai um vídeo daquilo que é a nossa Juventude Socialista:

P.S. – é como diz o João, se ela precisa que lhe descasquem as frutas e tem um namorado chamado Gonçalo Uva, será que também precisa que a “empregada lhe descasque o namorado?”

13/08/2009

“Restauração” da Monarquia em Portugal

Posted in Portugal às 14:07 por ideiasdelirantes

Ora, deparámo-nos, há dias com um episódio algo estranho: um grupo de sujeitos (que pertencem ao blog 31 da Armada), dirigiu-se em plena noite à Câmara Municipal de Lisboa para substituir a bandeira da República Portuguesa e, hastear a antiga bandeira Monárquica.

Tal como esperado, o episódio trouxe polémica, uns acharam mais piada que outros (eu achei que teve alguma, penso que foi um acto puramente provocatório ao estado em que o país se encontra), mas o que eu tenho vindo a divagar é: soube, pelos noticiários, que existe uma esquadra da PSP  a 50 metros da Câmara e, no entanto, foi na mesma possível entrar lá para dentro. E se fosse uma bomba?

Sim porque uma bandeira substituída até pode ter a sua piada mas e uma bomba? Onde está a segurança em Portugal, alguém me explica?

Já estou como o “geninho”  lá de Aljezur: “É Portugal no seu melhor!”.

06/08/2009

“This is the end of the world, isn’t it?”

Posted in Portugal às 12:54 por ideiasdelirantes

A minha praia sim, é o fim do mundo como dizia hoje a inglesa, esta bastante simpática, diga-se de passagem. Tentou aprender algumas coisas em português, pedindo que lhe escrevessemos num caderninho. Perguntou se isto era o fim do mundo e, respondemos prontamente que sim, mas que era mesmo essa a ideia.

O fim do mundo é bonito e tem de tudo um pouco. É perto de uma reserva natural, o que faz com que ainda não haja muita gente (apesar de já ter bastante)

Ontem fomos multadas porque estacionámos mal o carro ao pé da praia, havia muita gente, agora em Agosto há sempre muita gente. Mas tentámos dar a volta aos “geninhos”, não conseguimos, estes eram firmes. Vieram atrás de nós até casa para que lhes pagassemos a multa (não tinham multibanco na carrinha, como existe normalmente). Passado um bocado, já estavamos os quatro a falar muito bem, a dizer mal do governo e dos superiores. É giro, claro que não é giro gastar dinheio assim à toa como dizia o GNR mas é giro é compreender como eles funcionam, ainda para mais aqui nas “santa terrinhas”. Não há ambulâncias, não há médicos no centro de saúde e os miúdos nascem na Nacional 22. “É Portugal minha senhora, é Portugal”. Eles dizem que não refilam porque não querem ser suspensos. Falei-lhes da manifestação dos PSP em Lisboa e não conseguem ouvir falar dos PSP. As tais competições existem em todo o lado. Mas como diziam…

“É Portugal minha senhora, é o fim do mundo. Ninguém faz nada e eles lá em cima são sempre os mesmos. Para quê refilar?” Tentámos explicar que era essa mentalidade que deixava o país no estado em que está, que se todos nos juntassemos não podiam fazer nada contra. Mas também compreendemos o lado deles. Têm família e querem é preservar este trabalhinho, que apesar de mau, é sempre uma garantia.

É, a minha praia é mesmo o fim do mundo mas é um fim do mundo acolhedor e querido.

Os pequenos almoços. Comecei a ir à praia com a minha mãe de manhã. Já que estou sem amigos queria fazer uma vida mais saudável do que a que faço normalmente. Um passeio na praia todos os dias de manhã para levarmos a Juba a passear (o mal de muitos mas também o agrado de muitas crianças que gostam de mexer no pelo do cão).

Depois do passeio vamos sempre tomar o pequeno almoço ao café da praia: “Eram duas torradas e dois sumos de laranja se faz favor”.

 A Juba é bonita e apelativa, conhecemos assim a Marta. A Marta é uma menina de 6 anos que está cá de férias com a mãe.  Gosta muito da Juba. Todas as manhãs a vemos lá no café e hoje, passado tantos dias de ela brincar com a cadela, juntámo-nos as quatro a tomar o pequeno almoço.

Foi giro. Eu adoro crianças e quero seguir Psicologia Clínica para crianças. A Marta é uma criança que não para, muito agitada. Segundo a mãe, tem falta de concentração nas aulas e resiste ao aprender a ler; gosta de natação mas odeia as aulas de Ballet : “a professora era uma seca e não nos deixava brincar no fim da aula!”. Como a compreendo, o que é a vida sem brincar?

Gosto mesmo de crianças e tentei compreender a Marta ao máximo. Pecebi que nada tem a ver com Dislexias ou com  Hiperactividades pois a mãe já a tinha levado à Psicóloga, é apenas uma menina extrovertida que gosta de brincar e falar com todos. É uma miúda gira, gosto dela e quero voltar a tomar o pequeno almoço com elas.

Gostei de tentar compreender e e ver o meu à vontade mesmo com a mãe. Preciso de aprender a interagir mais., o que é um Psicólogo sem saber comunicar?

Gosto do fim do mundo. Gosto mesmo. É um fim do mundo com tudo o que o Mundo tem. ψ♥

DSC_0438

04/08/2009

Os cães, a praia e os “estranjas”

Posted in Portugal às 10:51 por ideiasdelirantes

DSC_0549A Juba, a cadela da minha irmã que agora está connosco, vai à praia de manhã todos os dias e nada acontece. Gosta de passear, correr e de cheirar.

Porém, quando chega a Agosto a zona de Aljezur fica repleta de ingleses que se acham os donos do mundo. Hoje, por exemplo, havia uma inglesa a fazer jogging na praia e a juba, quando vê alguém correr vai atrás porque pensa que é brincadeira. Esta não gostava de cães e começou a enxutá-la de forma muito arrogante e mal educada. A minha mãe deixou passar, disse que o cão não fazia mal e seguimos caminho.

A inglessa começou ida e volta praia toda a enxutar a Juba com um ar muito muito arrogante, que nos fez pele de galinha. Fomos arrogantes também, a minha mãe disse e com razão que o cão tinha mais direito que ela de estar na praia e par ela ir para o país dela, disse ainda que se ela quisesse refilar que aprendesse português. Depois começámos a falar com o nadador salvador, que dizia muito mal da senhora e dos ingleses que chegavam aqui e achavam que era tudo deles. E é verdade.

Parece que não descobrimos o mundo, eles é que nos descobriram a nós. Somos pequeninos e temos uma auto-estima pequenina, achamos que temos de nos submeter a tudo aquilo que os estrangeiros querem. Tudo bem que estrangeiros em Portugal é bom para o turismo e também é bom tratarmos bem, falarmos inglês e sermos hospedeiros como gostamos de ser, mas há limites. No sentido em que eles não nos respeitam a nós achando que somos um país abaixo deles e temos de falar sempre inglês e seguir as regras deles. Isto da Juba é apenas um exemplo do estado onde chegou a nossa pequenez. Chegámos ao ponto de termos pessas a tratar-nos mal e aos nossos cães nas nossas praias, sem o mínimo de respeito. Apenas porque deixámos chegar a este ponto. Apenas porque achamos que eles são melhores, têm mais dinheiro e temos de nos sujeitar.

Pois não, isto não é assim nem tem de ser. Países como Espanha, França e Alemanha rejeitam-se a falar inglês e a sujeitar a cultura deles a países ditos melhores. Porque é que nós temos de fazer isso?

Respeito sim, turismo e acolhedores também, simpatia também, mas orgulho nacional ainda mais, por favor. Não precisamos de ser tão pequeninos assim.

06/07/2009

E tudo pára…

Posted in Delírios, Portugal às 19:13 por ideiasdelirantes

para ver Cristiano Ronaldo chegar ao Real Madrid!

Um bocadinho exagerado não?

Mas vá, tenho orgulho por ele ser português…!

(colocava vídeos da chegada dele mas não sei porquê não consigo usar mais o media do meu blog, alguém me explica?)

Página seguinte